Quanto tempo demora para saber se caí na malha fina?

Fez a sua declaração do Imposto de Renda e está com dúvida sobre quanto tempo leva a análise da Receita Federal que coloca ou não você na malha fina? Descubra quanto tempo demora!

Quanto tempo cair malha fina

A malha fina costuma assustar a maioria dos contribuintes. Se você está se perguntando se conseguiu escapar dela depois de ter realizado a sua declaração, fique calmo. Nada é tão terrível quanto parece.

É bem simples descobrir se a Receita Federal achou alguma inconsistência na sua declaração e, por isso, você pode ter ido parar na malha fina, mas nada que não possa ser resolvido.

O que é a malha fina

A Malha Fiscal, mais conhecida como malha fina, é um revisão realizada pela Receita Federal, na qual ela cruza dados declarados pelo contribuinte com informações disponíveis nos sistemas da sua secretaria.

São feitas diversas verificações com base no que você informa. Se existir algum erro ou informações que não batem, a Receita Federal pode entender essas contradições como uma possível infração à legislação tributária federal. Se isso acontecer, você cai na malha fina.

Nesse caso, você pode tanto ter que ajustar algum dado informado errado, o que pode ser feito por meio de uma declaração retificadora, como precisar enviar documentos comprobatórios, caso a Receita Federal solicite que você apresente, para eliminar o problema.

Quanto tempo demoro pra saber se caí na malha fina?

Se você cair na malha fina, não receberá a restituição até que envie a declaração retificadora ou apresente documentos que comprovem o que você informou - o que é um indício de que pode ter caído.

Porém, para consultar a situação do seu Imposto de Renda, é bem simples. Faça o seguinte:

1.  Acesse o portal e-CAC e gere um código clicando em “Gerar Código de Acesso”.

2.  Uma página será aberta com as opções para gerar o código. Clique em “Gerar Código de Acesso para Pessoa Física” e preencha os campos com seu CPF e data de nascimento.

3.  Na página que aparecer, preencha com o número de recibo do Imposto de Renda e crie uma senha. Agora é só copiar o código de acesso e voltar à página do e-CAC para efetuar o login.

4.  No e-CAC, clique em “Declarações e Demonstrativos”, em “DIRPF – Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física” e, por fim, em “Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF)”.

5.  Agora, é só clicar em “Extrato do Processamento” e conferir, clicando no ano da declaração em questão. Se estiver marcado “Com Pendências”, você está na malha fina.

6.  Neste mesmo lugar também estarão as orientações do que é preciso fazer para regularizar a situação: se precisa corrigir algum erro ou se é necessário agendar um horário para apresentar comprovantes à Receita Federal.

Evite cair na malha fina

Na hora de declarar, faça tudo com atenção. É mesmo chatinho ter que preencher tantas fichas do programa da Receita Federal, e se você estiver cansado ou quiser terminar logo, isso pode gerar erros.

Por isso, a dica é fazer em etapas ou contar com uma assistente virtual gratuita para declarar o Imposto de Renda como a Leoa.

Confira o que mais pode levar você para a malha fina:

1.  Informar valores diferentes dos presentes no Informe de Rendimentos da sua empresa, do seu plano de saúde, previdência privada, banco, etc.

2.  Omitir rendimentos recebidos, como aluguel, pensão alimentícia, aposentadoria, salários. Tudo que foi recebido deve ser declarado, tanto de pessoas jurídicas quanto físicas.

3.  Informar dependentes de forma duplicada. Quem tem um filho e declara ele como dependente, deve avisar a esposa ou marido - caso também declare Imposto de Renda - que já incluiu o filho na declaração, porque os dois não podem declarar o mesmo filho, isso gera duplicidade.

4.  Da mesma forma, incluir como dependente alguém que também realiza declaração.

5.  Informar rendimentos que não fecham com os valores da sua conta corrente, cartão de crédito, etc. O seu rendimento tem que ser condizente com os seus gastos, do contrário isso poderá gerar dúvidas, então não esconda nenhum rendimento.

6.  Informar despesas com médico, dentista e educação, por exemplo, que não tem como comprovar ou que não se enquadram como despesas dedutíveis.

7.  Fazer qualquer movimentação em Bolsa de Valores e não declarar. Isso porque as corretoras informam à Receita Federal, obrigatoriamente, toda vez que alguém realiza qualquer movimentação desse tipo.

8.  Isso também pode acontecer com quem faz negociações de imóveis e declara valores diferentes dos registrados no cartório. Os cartórios também são obrigados a informar ao governo os dados de todas as negociações.

Resumindo: não informe nada diferente da realidade nem tente reduzir valores na sua declaração para pagar menos imposto, porque esse pode ser um caminho sem volta e você terá uma surpresa ruim na hora de verificar a sua situação com o Leão.

O que você achou do post?

1 Resposta

Deixe seu comentário