Canal da Leoa

Tudo sobre Imposto de Renda

Conteúdo grátis com qualidade sobre IR

Vale a pena investir em Previdência Privada?

Se você possui qualquer plano para o futuro, vale, sim, investir em Previdência Privada. E não importa se o seu sonho é garantir a aposentadoria ou adquirir um imóvel.

Investir previdência privada.

Investir em previdência privada é pensar a longo prazo na realização de um sonho. Está enganado quem pensa que este produto financeiro serve apenas para substituir - ou complementar - o INSS, ou seja, a previdência governamental.

Está enganado por muitos motivos: a previdência privada poderá ajudar o investidor a realizar diversos sonhos pessoais, desde a compra de um imóvel ao pagamento da faculdade dos filhos e, claro, complementar a aposentadoria. Só esta possibilidade já responderia à pergunta "por que investir em previdência privada?", não é mesmo?

Aliás, é importante entender como funciona o saque do valor investido, já que, como dissemos, ele pode servir para realizar outros sonhos. Isso porque, quando se fala em "previdência" muita gente ainda associa à tradicional aposentadoria do INSS, em que se recebe uma quantia por mês.

Contudo, se fosse assim que este produto funcionasse, adquirir um imóvel com o valor resgatado seria quase impossível. Aqui se esconde uma outra vantagem das previdências privadas: o saque poderá ser recebido numa única vez ou com recebimentos mensais, da maneira tradicional.

Assim, a gente pode concluir que há duas fases no funcionamento deste produto:

Fase de Acumular

É o investidor quem escolhe o valor da contribuição mensal e data de vencimento. A empresa que vendeu o produto irá administrar os valores aportados, fazendo com que haja a maior incidência de juros possíveis, aumentando o montante acumulado, mês a mês.

Fase de Resgatar

Conforme contratado entre o investidor e a empresa, é a hora que é possibilitado o resgate dos valores (tanto dos aportes mensais, feitos ao longo dos anos, quanto dos juros e rendimentos). E o resgate, já falamos, é de maneira similar ao recebimento de salários ou resgate integral.

Assim, tudo é feito de acordo com a vontade e sonho de cada cliente. Do momento da escolha do objetivo ao momento do saque, tudo acontece com mais liberdade do que o brasileiro está acostumado a ver, com o INSS.

Outro aspecto para ser esclarecido é que o investimento pode ser firmado não somente nos bancos, como também com fintechs, corretoras de valores e até mesmo conselhos de classe profissional.

A atratividade do produto, portanto, é por causa de muitas maneiras de flexibilidade que ele concede ao investidor, que, repetimos, poderá escolher com qual empresa contratar, para realizar um objetivo de vida específico, considerando as melhores taxas e escolhendo o tipo de resgate preferível.

Como escolher empresa segura.

Como escolher uma empresa segura?

Muita gente continua pesquisando qual o melhor banco para investir em previdência privada, mas a gente já falou: não são somente estas instituições que podem comercializar o produto.

Assim, a melhor maneira de escolher uma empresa segura, é avaliando a sua credibilidade no mercado, bem como as taxas que você está disposto a pagar e quais taxas de rendimento ela irá te oferecer.

Além disso, é importante conhecer quais os prazos para resgate e, até mesmo, que taxas serão cobradas em caso de quebra contratual. Isso é importante, pois como os prazos para resgate são muito longos, é possível que o investidor prefira sacar o seu dinheiro antes da hora.

E isso é possível, mas é importante saber que o valor simulado no começo do contrato não será disponibilizado, considerando desde menos aportes - e, portanto, menos rendimentos - até o fato de haver, quase sempre, previsão de multa contratual para estes casos. Fique esperto!

Previdência privada, tesouro direto ou fundo de investimentos?

O que é melhor? Em se tratando de um produto financeiro, o investidor pode ficar em dúvida sobre compará-lo com outros, tal como tesouro direto ou outro fundo de investimento. E, para isso, não há uma resposta definitiva.

Novamente, será o investidor quem deverá avaliar as taxas de cada um, observando quais os rendimentos e riscos, bem como se eles servirão para cumprir seus objetivos.

E sobre o próprio plano, o investidor terá de optar entre os dois tipos existentes, quais sejam PGBL ou VGBL, considerando possíveis deduções na sua declaração de Imposto de Renda, pois este é um benefício que pode se mostrar interessante para o contratante investidor.

Assim, conhecer qual o melhor plano de previdência privada é melhor para você requer conhecer a si mesmo, mas a gente garante, desde já: vale, sim, a pena investir na previdência privada. E você, já possui um plano?

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário

Declare o Imposto de Renda. Online, grátis e seguro.

DECLARAR