Cálculo Previdência Privada: Entenda como calcular

A Previdência Privada pode ser uma alavanca na realização de muitos sonhos: da aposentadoria ou de outros tantos que a imaginação do investidor permitir. Mas é preciso saber como calcular.

Cálculo previdência privada.

O cálculo da Previdência Privada é um passo importante para a hora de planejar esse investimento, que é programado para longos prazos. Há muitos fatores a serem analisados, antes de fechar o contrato com uma empresa que trabalha com esse produto financeiro.

E um dos mais importantes, além da reputação da empresa, é calcular as taxas envolvidas na contratação: desde as que a empresa vai cobrar para administrar o seu dinheiro até as taxas que ela promete utilizar para fazer render o seu investimento.

É que a Previdência Privada funciona como um investimento (assim como é aplicar no Tesouro Direto, por exemplo). E, quando se trata de investimentos, é preciso saber qual a destinação que será dada, ao final do prazo.

Sabendo disso, é hora de partir para os cálculos, para saber se os rendimentos e custos envolvidos na negociação vão conseguir realizar os seus sonhos:

  • Aposentadoria confortável;
  • Compra de um imóvel;
  • Abertura de um negócio próprio;
  • Pagar a faculdade de um filho ou neto.

São muitas as possibilidades de utilização do valor investido em Previdência Privada, porque ela possibilita dois tipos diferentes de resgate, diferentemente da Previdência Oficial, o INSS.

Os resgates podem ser feitos:

  • Mediante recebimento mensal de um valor combinado (nos moldes do tradicional INSS); ou
  • Resgate do valor integral, de uma única vez (o que possibilitaria a compra de um imóvel ou a abertura de um negócio próprio).

Como calcular o rendimento da Previdência Privada

O rendimento é o que a gente está falando que deve ser observado com atenção, para analisar se está adequado ao seu objetivo - juntamente com as taxas que a instituição que você escolheu vai cobrar - que seria o custo do produto.

A empresa contratada deverá informar qual o rendimento e por meio de qual estratégia de investimento ela aplicará, ao longo do prazo contratado, os seus aportes mensais.

Não há uma fórmula matemática pronta, que serve para todos os planos - e, por isso, não conseguimos explicitar aqui, neste artigo. A gente está, na verdade, tentando te fazer escolher um plano que seja atrativo para você.

Assim que você for buscar uma empresa, informe-se sobre quais os rendimentos oferecidos. Lembrando que, um bom ponto de comparação, é em relação ao rendimento da poupança - que, atualmente, não rende quase nada.

Da mesma maneira que não há uma fórmula pronta de como calcular juros da Previdência Privada: eles são altamente personalizáveis, de acordo com cada instituição e cada objetivo dos investidores.

Fique atento!

Como se calcula reserva matemática na Previdência Privada

É preciso, também, considerar a chamada "Reserva Matemática", para todos os planos, mesmo que isso não esteja especificado em contrato.

Isso porque é permitido aos administradores cobrarem essa reserva, para adequar, ao longo do prazo contratado, os valores combinados.

Em outras palavras, a reserva matemática é um mix dos valores dos aportes mensais, somado aos juros (rentabilidade) de cada plano, mais a contribuição da patrocinadora (a empresa contratada).

É díficil, também, apresentar um cálculo único, como se fosse uma receita de bolo, pois a conta é feita com com fórmulas financeiras e de probabilidade (aspectos mais complexos da matemática).

Por isso é importante se atentar a todas essas contas, antes de assinar um contrato!

Como calcular resgate de Previdência Privada

O resgate dos valores investidos e com juros aplicados tem data certa para acontecer - mas há sempre a possibilidade de o investidor precisar resgatar antes dela.

Assim, é de extrema importância observar esses números no seu contrato, também: haverá, certamente, alguma taxa para resgate antecipado. E o cálculo também é personalizável: depende de cada contrato e de cada empresa que vende o produto financeiro.

E aí, achou difícil? Não é: pense e escolha algo que se adeque às sua necessidades e objetivos, considerando cada um desses itens. Se a empresa que você está pensando em contratar for realmente idônea, ela deixará todas essas contas com acesso facilitado para você, para que não haja dúvidas.

Hoje em dia, com tanta concorrência, quem ganha é o investidor, que possuirá um leque de opções na sua mão, podendo realizar a melhor escolha!

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário