Canal da Leoa

Tudo sobre Imposto de Renda

Conteúdo grátis com qualidade sobre IR

Mercado de ações: como funciona e como investir

Conheça detalhes sobre o mercado de ações e descubra se ele é para você, como funciona, como investir nele e como estudá-lo.

Mercado de ações

O mercado de ações é o espaço no qual as ações são negociadas dentro da Bolsa de Valores. É o ambiente - hoje em dia, digital - onde acontecem as compras e vendas dos chamados “papéis”.

Quem quer negociar precisa antes compreender qual o seu perfil de investidor, quais resultados está buscando e quanto tempo tem para “esperar” pelo retorno das negociações que decidir fazer.

Investidores que desejam ingressar na Bolsa de Valores também devem compreender como funciona cada processo, além de saber como monitorar a evolução e o resultado dos papéis.

Afinal, como funciona o mercado de ações?

Para funcionar, o mercado de ações se divide entre compradores e vendedores. Todos os dias - durante o pregão - acontecem as negociações dos ativos entre quem quer comprá-los e quem tem interesse em vendê-los.

Essas ações, ou papéis, representam uma porcentagem negociável de alguma organização ou instituição de capital aberto. Quem as compra torna-se acionista da respectiva empresa.

Existem dois formatos de negociações no mercado de ações: o mercado primário e o secundário.

No mercado primário estão as empresas que acabaram de decidir pela abertura de seu capital (IPO) e realizam sua primeira venda de ações. Já no mercado secundário acontecem negociações entre os próprios investidores e não mais entre instituições e investidores.

Outros pontos que você precisa conhecer sobre o mercado de ações:

  • Qualquer pessoa pode participar dele.
  • Atualmente, os ativos são comprados e vendidos online.
  • Os valores das ações oscilam constantemente. Afinal, variam de acordo com demanda e procura. 

Veja a seguir os dois tipos de ações que podem ser negociadas na Bolsa de Valores.

Ações negociadas no mercado da Bolsa de Valores

Duas siglas são utilizadas pelos investidores do mercado de ações para diferenciar os papéis que podem ser comprados ou vendidos: ON e PN. A sigla ON representa as ações ordinárias e PN ações preferenciais. 

Ações ordinárias (ON)

Permitem o tag along ou, em português, o “direito de ir” que consta na lei de Sociedades Anônimas e oferecem algum tipo de proteção aos investidores para casos de mudanças no controle da empresa. 

Acima de tudo, dão ao acionista direito a votos em assembleias gerais da empresa e os permitem influenciar em seu futuro. Costumam ser escolhidas por quem quer, de fato, causar algum impacto nas decisões organizacionais. Lembrando que esse impacto é proporcional à quantidade de ações.

Ações preferenciais (PN)

Seus investidores terão preferência ao receber os dividendos - porcentagem de lucro compartilhada entre os investidores de um mesmo papel - e, em caso de problemas, terão prioridade no reembolso do capital investido.

Como estudar o mercado de ações?

Pesquisa é a palavra-chave para quem quer estudar o mercado de ações. Por pesquisa, entenda: conhecer todas as empresas com papéis disponíveis para negociações e aprofundar-se em relação àquelas que quiser investir.

Sobre organizações das quais você pretende cobrar ações, entenda pelo menos:

  • Quem são seus gestores e quais os princípios da gestão.
  • Qual o seu histórico desde quando foi fundada.
  • Como estão seus indicadores financeiros e quais os seus dados financeiros.

Para fazer um estudo completo, aprofunde seu conhecimento sobre gráficos e sobre como interpretá-los corretamente. 

E mais: atualize-se com frequência através de fontes online e offline altamente confiáveis.

Como investir no mercado de ações?

O próximo passo depois de estudar é começar a investir, mas, antes de qualquer coisa, compreenda que o mercado de ações é um bom investimento para quem tem disposição e liberdade financeira para correr maiores riscos do que correria se fizesse outras negociações.

Anote 7 dicas para investir no mercado de ações:

  1. Escolha sua corretora com sabedoria.
  2. Saiba lidar com a volatilidade e a oscilação dos valores dos papéis.
  3. Compreenda que você é acionista e não sócio majoritário da organização em que escolheu investir.
  4. Tenha um bom planejamento financeiro.
  5. Conheça os custos de corretagem e emolumentos.
  6. Aprenda a declarar Imposto de Renda sobre ações.
  7. Fique de olho no horário de abertura do mercado de ações, horário de fechamento e em possíveis mudanças. As transações só acontecem com o mercado aberto!

No Brasil, a B3 funciona entre 9h30 e 17h, de segunda a sexta-feira. Mudanças são comunicadas através da página oficial da própria Bolsa de Valores na internet.

Aprenda a operar o mercado de ações

Agora que você já sabe como estudar o mercado de ações e como investir, aprenda a operá-lo, conhecendo as principais diferenças entre alternativas mais comuns de negociações dos papéis.

Veja algumas das modalidades mais conhecidas:

Swing Trade

Operações de curto prazo que apostam principalmente em tendências de mercado e, portanto, têm um risco um pouco menor quando comparadas com outras operações semelhantes, como o day trade.

Quem aposta nessa modalidade compra seus papéis e os mantém “rendendo” durante alguns dias ou no máximo algumas semanas, sempre analisando gráficos e flutuações, pensando em como está o mercado no período e em quais as suas estratégias e seus objetivos finais. 

É importante entender também como declarar Imposto de Renda swing trade. Temos um artigo que ensina direitinho. 

Day Trade

A compra e venda de ações e outros ativos em um mesmo dia com a intenção de se obter ganhos através das oscilações dos preços da Bolsa de Valores durante a movimentação do dia, suas horas ou até minutos.

No day trade o enfoque é a volatilidade e tudo acontece de forma mais dinâmica, mas os riscos também são maiores e é preciso estar atento a tudo, analisar cada detalhe do mercado e conhecer muito bem tendências e estatísticas. Para quem tem dúvidas: Day Trade também aparece na declaração de IR.

Position Trade

É mais um formato de operação “trade”, porém seu foco maior está na maximização dos ganhos do investidor e não apenas no lucro com oscilações da Bolsa de Valores. 

De qualquer forma, o position trade tem várias semelhanças quando comparado com swing trade, por exemplo, mas o prazo das operações difere e este segundo formato acaba sendo considerado uma operação a médio ou até mesmo longo prazo, visto que seus resultados demoram meses ou até mais de um ano para aparecer.

Como as outras alternativas, o position trade também requer avaliações de ativos e leitura minuciosa das tendências do mercado e, quando “dá certo”, deve constar no Imposto de Renda sobre lucro com a venda de ações. O mesmo vale para Buy and Hold e Scalping!

Buy and Hold

É uma estratégia para quem quer investir e lucrar a longo prazo. Quem se envolve com buy and hold costuma dizer que participa das operações como se fosse um dono ou sócio da empresa “dona” das ações adquiridas e manipuladas. 

Em primeiro lugar, porque acompanha com muita proximidade o crescimento da companhia para saber se terá sucesso com os ativos e, em segundo lugar, porque passa bastante tempo de olho em tudo o que acontece até obter resultados relacionados ao investimento.

Scalping

Muito semelhante ao day trade, o scalping também é uma operação de prazo bastante curto e cujo objetivo do investidor está em comprar e vender ações ou ativos em um mesmo dia da Bolsa de Valores e, portanto, em um mesmo pregão.

O envolvimento com operações scalping requer bastante técnica, extremo cuidado com os riscos e bom senso para se reconhecer a famosa “hora de parar”. Quem consegue administrar cada um desses pontos pode usufruir da possibilidade de fazer, às vezes, dezenas de operações em apenas algumas horas e de encerrar operações, senão com lucro, com prejuízo mínimo ou nenhuma coisa, nem outra, o que também é bom quando falamos sobre investimentos. 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre cada uma das modalidades, estude-as a fundo e entenda ainda melhor o seu funcionamento para então simular os investimentos antes de realizá-los oficialmente. 

Enfim, pratique o gerenciamento de riscos e compreenda que ganho e riscos estão diretamente relacionados, mas que é importante evitar aplicar todo o seu dinheiro em um mesmo ativo.

Antes de se assustar com situações como “não declarei minhas ações no IR, e agora?”, preocupe-se paralelamente com organizar documentos e dados necessários para entregar a declaração de forma adequada no prazo correto. 

Você pode realizar a apuração mensal dos seus investimentos na Bolsa de Valores via aplicativo, ou seja, com o auxílio da Leoa+, que foi criada exatamente para facilitar a sua vida. Você pode ir salvando tudo na plataforma para, quando chegar a hora de declarar, ser muito mais prático e simples.

O que você achou do post?

2 Respostas

Deixe seu comentário

Cálculo automático do
Imposto de Renda dos
seus investimentos

Compre e venda sem medo de cair na Malha Fina.

começar agora