Canal da Leoa

Tudo sobre Imposto de Renda

Conteúdo grátis com qualidade sobre IR

Como investir na Bolsa: 5 passos para iniciar agora

Se você está cansado de esperar rendimentos mais expressivos da poupança ou do Tesouro Direto, talvez seja melhor mudar de estratégia e aprender como investir na Bolsa de Valores. Preparamos um guia para iniciantes para dar mais segurança a você na hora de entrar no mercado de ações. Confira!

Como investir na bolsa

O primeiro passo para aprender como investir na Bolsa de Valores é entender que qualquer pessoa, independentemente da sua classe econômica, pode estar no mercado financeiro. Inclusive, você sabia que não existe um valor mínimo para começar a investir em ações? Os preços variam de centavos a centenas.

Por esse motivo, preparamos um passo a passo inicial para que você comece a investir, afinal, para se tornar um investidor experiente e lucrativo, devemos começar de algum lugar, não é mesmo?

Por isso, um lembrete: a Bolsa de Valores não é para amadores, mas pode ser acessível para todos (mesmo que esse processo implique em muito estudo e dedicação).

Por que aprender a investir na Bolsa de Valores?

Porque essa é uma opção interessante quando o assunto é aumentar os seus resultados financeiros e trabalhar na construção do seu patrimônio, principalmente quando as operações são comparadas à poupança, por exemplo.

Atualmente, a poupança paga 70% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), título atrelado à taxa Selic, índice básico de juros da nossa economia. Ou seja, um retorno pequeno para atingir objetivos financeiros ambiciosos, digamos assim.

A Bolsa de Valores, por sua vez, não está atrelada a nenhuma dessas taxas e, por sua característica volátil e de instabilidade, tem um retorno financeiro superior ao ofertado pela poupança e até mesmo pelo Tesouro Direto. Afinal, assim como o prêmio, o risco também é maior.

Então, se você quer iniciar seus investimentos na bolsa e ainda não sabe por onde começar, continue a leitura e acompanhe o nosso passo a passo.

Passo a passo para investir na Bolsa de Valores

1.  Abra uma conta em uma corretora financeira

O primeiro passo para começar a investir na B3, a Bolsa de Valores brasileira, será escolher e abrir uma conta em uma corretora financeira. As mais conhecidas no Brasil são:

  • XP Investimentos
  • Rico
  • Warren
  • Guide
  • Easynvest
  • Clear
  • Nu Invest
  • BTG Pactual
  • Toro Investimentos

Alerta: fuja dos bancões! Bancos tradicionais possuem abas de investimentos e também permitem que você comece a investir por lá, no entanto, as taxas de custódia e operação são superiores às cobradas pelas corretoras financeiras de fato, o que, com o decorrer do tempo, diminuirá seus lucros.

Além disso, as corretoras de valores são mais intuitivas e didáticas, prova disso é que no momento do cadastro você passa por um questionário financeiro que indica qual é o seu perfil de investidor e quais são os melhores papéis para ele, o que ajuda na hora de tomar decisões mais assertivas no início.

2.  Conheça suas opções: Renda Fixa, Ações, FIIs, ETFs

A Bolsa de Valores funciona como um mercado organizado para a negociação de valores mobiliários. Por meio dela, é possível comprar e vender diversos ativos financeiros.

Entre os principais ativos comercializados na bolsa estão as Ações, as Opções, os FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário), os ETFs (Exchange Traded Funds) e os títulos de Renda Fixa, como os CDBs (Certificados de Depósito Bancário).

Portanto, estude quais são comercializados pela B3 antes de começar a investir, seja criterioso e lembre-se: você é um iniciante e deve agir como tal.

Não tome decisões precipitadas, comece devagar e, gradualmente, vá aumentando o ritmo e o risco. O indicado é começar pelos investimentos menos voláteis, como os CDBs, FIIs e ETFs e, com o tempo, investir em ações individuais.

3.  Tenha uma estratégia de investimento definida

Você pode investir de duas formas: como Swing Trader (investidor que compra e vende ativos em dias diferentes) ou como Day Trader (que compra e vende ativos no mesmo dia).

A primeira opção, de modo geral, vem acompanhada de uma estratégia de investimento chamada
“buy and hold”, o que significa, ao pé da letra, “comprar e segurar”.

Isso representa, na prática, confiar na escolha dos ativos adquiridos, deixando-os na carteira de investimento por bastante tempo, apostando na sua valorização com o decorrer dos anos.

Enquanto isso, o Day Trade pressupõe um trabalho mais ativo, em que o investidor pode passar horas do seu dia operando no mercado financeiro.

Independentemente da forma ou estratégia de investimento escolhida, a recomendação da maioria dos especialistas da área é que o investidor, seja ele iniciante ou experiente, busque a diversificação de sua carteira, protegendo seu patrimônio das oscilações do mercado.

4.  Estude antes de investir: evite o efeito manada

Antes de aplicar o seu dinheiro em qualquer ação ou título recomendado por um familiar ou amigo próximo, estude - e muito - suas possibilidades, afinal, nem sempre o investimento indicado por um amigo será adequado ao seu perfil de investidor ou trará os resultados que você espera.

Pense assim: ao comprar uma ação, você está virando sócio dessa empresa e financiando o seu trabalho, portanto, deve enxergar potencial de crescimento nela e no setor investido e, sobretudo, concordar com os ideais, posicionamentos e estratégias de gestão da companhia.

Na hora de escolher, estude os fatores que contam positivamente na hora de comprar um ativo. Uma boa estratégia de pré-investimento consiste em:

  • analisar o crescimento da empresa nos últimos anos;
  • ler relatórios;
  • comparar gráficos;
  • acompanhar de perto a gestão do ativo atualmente; e
  • assim por diante.

5.  Declare o IR anualmente: afinal, agora você é um investidor

Tornar-se um investidor da Bolsa de Valores também inclui estar obrigado a declarar anualmente o Imposto de Renda e, quando necessário, recolher o IR mensalmente. Isso mesmo que você leu, qualquer valor operado na B3 deve ser mencionado na declaração anual do Imposto de Renda.

Operar no mercado financeiro é um dos critérios de obrigatoriedade da Receita Federal, ou seja, se você é um investidor, será também um contribuinte do IR, o que não quer dizer que você pagará tributo sobre todas as suas operações.

Aqui no blog da Leoa, você aprende como declarar ações, Fundos Imobiliários, ETFs, renda fixa, entre outros. Fique tranquilo, temos conteúdo para ajudar você durante todo o processo, passo por passo.

Por enquanto, preocupe-se apenas em aprender a investir e a fazer bons investimentos de acordo com o seu perfil e objetivos.

É possível investir na Bolsa de Valores sozinho?

Sim, você não precisa contratar um consultor financeiro para investir. Para fazer o procedimento sozinho, basta seguir o passo a passo para iniciantes que abordamos no tópico anterior e estudar bastante. Afinal de contas, é o seu dinheiro que está em jogo, lembra?

O que você achou do post?

1 Resposta

Deixe seu comentário

Cálculo automático do
Imposto de Renda dos
seus investimentos

Compre e venda sem medo de cair na Malha Fina.

começar agora