Como evitar cair na malha fina?

Todos os anos, o frio na barriga ao declarar o Imposto de Renda é o mesmo: cair na boca do leão. Qualquer omissão ou declaração falsa pode levar você a ter problemas com a Receita Federal. Por isso, veja como evitar cair na malha fina.

Evitar cair malha fina

A malha fina é o termo utilizado para indicar a análise minuciosa feita nas declarações de Imposto de Renda, com o objetivo de identificar se há ou não erros nas informações declaradas. O sistema é criterioso e passa, realmente, o pente fino nas declarações.

Após recebida a declaração do Imposto de Renda, o sistema compara as informações mencionadas com as disponíveis na própria Receita Federal. Se as informações postas no documento baterem, tudo certo, caso contrário, o declarante será acionado para comprovar os dados ou, ainda, realizar as alterações necessárias. No entanto, alguns cuidados podem ser tomados para evitar essa situação.

Por isso, neste artigo, você encontrará:
• os principais equívocos cometidos na declaração do IR;
• o que fazer para evitar cair na malha fina;
• caí na malha fina, e agora?

Principais equívocos cometidos na declaração do Imposto de Renda

Antes de ver algumas dicas de como evitar cair na malha fina, é importante estar ciente dos principais equívocos cometidos na hora de preencher a declaração do IR. Dessa forma, é possível destinar atenção extra a esses pontos e precaver-se, evitando, portanto, complicações com a Receita. São eles:

  • valores de despesas médicas não dedutíveis;
  • valores de despesas com educação não dedutíveis;
  • não declarar salários de antigos empregos;
  • não declarar investimentos em ações;
  • deixar de emitir e guardar notas fiscais;
  • omitir renda de dependentes;
  • omitir recebimento de aluguéis;
  • informar valores incorretos.

Esses são os principais erros cometidos por declarantes que já caíram na malha fina. Por esse motivo, evite, de antemão, realizar a declaração do IR não declarando ou omitindo as informações citadas acima.

O que fazer para evitar cair na malha fina?

Para evitar declarar o seu IR e ser convocado pela Receita Federal para maiores explicações ou, ainda, ser multado, alguns cuidados poderão ser tomados, confira:

1.  Declare seu IR com atenção

Quando for declarar o seu Imposto de Renda, reserve um tempo para essa ação. Nada de realizar a sua declaração com pressa, ok? Seja atencioso, somente com essa postura será possível registrar tudo o que for preciso no IR.

Além disso, tire um momento para se informar sobre como e onde as declarações devem ser inseridas. Por exemplo, se você realizou um empréstimo no ano de 2019, é necessário saber onde apontar a ocorrência no IR.

O que acontece, geralmente, é que, por não saber onde incluir as informações, os declarantes acabam por omitir as despesas e receitas, ato que parece inofensivo no início, mas pode se transformar em uma bola de neve indesejável.

2.  Não omita ou declare informações falsas

Uma das principais respostas para a pergunta “como evitar cair na malha fina?” é, com certeza, declarar toda e qualquer receita e despesa de maneira correta. Tome muito cuidado com a omissão de informações.

O sistema malha fina sabe como identificar informações falsas e, esta imprudência, poderá custar mais para o seu bolso do que o valor referente à sua declaração verdadeira.

3.  Guarde todos os recibos e notas fiscais

Durante o ano que antecede à declaração de IR, é aconselhável que você guarde todos os recibos e notas fiscais das suas movimentações financeiras, dessa forma, ao chegar o momento da declaração, você poderá fazer uso dos comprovantes para não esquecer de declarar coisa alguma.

Além disso, mesmo que você tenha declarado tudo ao pé da letra, por alguma razão, a Receita Federal pode acioná-lo e pedir que comprove todos os valores declarados. Em uma situação como essa, é crucial que você tenha como prová-los.

Por isso, é imprescindível que você tenha os recibos e as notas fiscais dos valores postos no IR à disposição neste momento.

4.  Utilize uma plataforma facilitadora

O que pode facilitar o processo e reduzir suas chances de cair na malha fina é utilizar uma plataforma como a da Leoa. Com a ajuda inteligente de um sistema, o que você tem a fazer é fornecer as informações necessárias para a plataforma e responder as perguntas feitas pela assistente virtual para declaração de IR.

Além disso, em algumas plataformas, você não precisa se preocupar em guardar todo e qualquer comprovante por muito tempo, pois é possível fotografar o documento, após o recebimento, e anexar, por meio de um aplicativo, o comprovante no sistema.

Caí, e agora?

Caso você tenha percebido, ao acompanhar o site da Receita Federal, inconsistências em sua declaração - ou seja, antes mesmo de ser notificado - você poderá realizar uma declaração retificadora, corrigindo a anterior.

Mas, fique atento, pois, caso sua declaração já esteja em processo de fiscalização, você terá que esperar ser acionado pela RF.

Além disso, caso sua retificação não tenha sido suficiente e houver, ainda, alguma pendência, somente será possível realizar as comprovações exigidas dirigindo-se à delegacia da Receita Federal.

No entanto, essa comprovação pessoal somente poderá ser feita após notificação da Receita, onde você poderá ter acesso à data do encontro. Ou no ano seguinte, mediante agendamento, caso você não seja notificado no mesmo ano.

Outro ponto a ser lembrado é que a notificação é feita sempre por correspondência, a menos que o contribuinte tenha aderido à domicílio o tributário eletrônico, certo?

Por último, saiba que caso você não compareça à reunião com o fisco para corrigir seus erros, você estará sujeito à multa, pois deixa o fisco à vontade para arbitrar o imposto, aplicando, portanto, multas e juros em sua declaração.

No mais, lembre-se: o ideal mesmo é fazer uso das dicas citadas acima para não cair na malha fina, podendo realizar a declaração do Imposto de Renda confiante e tranquilo.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário