Saiba por que organizar o seu IR com cuidado pode aumentar sua restituição

Ao longo do ano, a organização das despesas que podem ser deduzidas do seu Imposto de Renda é fundamental para aumentar o valor da restituição do IR.

organizar o seu IR com cuidado pode aumentar sua restituição

Se o contribuinte tem dúvidas de como aumentar o valor da restituição do Imposto de Renda, já é um bom sinal. Isso porque ele já sabe que todas as despesas passíveis de restituição devem ser comprovadas, através de documentos e comprovantes, como recibos ou notas fiscais.

Somente assim, com essa organização, é possível conquistar um valor maior para receber, no ano seguinte, depois de realizada corretamente a declaração. Perder um recibo ou qualquer outro documento comprobatório pode fazer com que o contribuinte diminua o valor a ser restituído.

Hoje em dia, é possível contar com a ajuda da tecnologia para ir organizando, ao longo do ano, a papelada - assim fica mais fácil na hora de declarar o imposto para o Leão. São softwares e aplicativos que ajudam as pessoas a organizarem as despesas, categorizá-las e, até mesmo, fazerem a declaração de Imposto de Renda sem a ajuda de um contador.

Antes de que a gente possa dar dicas para aumentar a restituição do Imposto de Renda, o contribuinte precisa saber quais despesas são dedutíveis (ou seja, que podem ser restituídas) e quais documentos servem para comprová-las.

Despesas que podem ser restituídas:

Despesas com educação

Recibos, contratos, mensalidades e comprovantes de pagamentos. Despesas com cursos de idiomas ou música, por exemplo, não são considerados dedutíveis. Outro detalhe a ser observado: há um limite para restituição de despesas com educação, contudo o valor informado deve ser o integral, para que a Receita Federal não coloque o contribuinte na malha fina.

Despesas com dependentes

É necessário informar o CPF de cada dependente e saber que há limite de valor para restituição por dependente. Contudo, o número de dependentes é ilimitado. Vale atentar para as hipóteses permitidas para restituição, como, por exemplo, o fato de que dependentes incapazes (mental ou fisicamente) não possuem limite de idade, mas precisam de documento comprovando a incapacidade.

INSS de empregado doméstico

O empregado deve ter registro em carteira de trabalho e só é permitido, para fins de restituição, declarar um empregado doméstico por contribuinte. Para restituição, neste caso, há, também um limite de valor (R$ 1.200,32), mesmo que a contribuição ao INSS tenha sido maior.

Despesas médicas

Uma vez que o contribuinte saiba quais as despesas com saúde podem ser restituídas, é importante guardar todos os recibos, notas fiscais e comprovantes dos gastos com saúde, desde que contenha o CPF do contribuinte e CNPJ, CPF ou registro do conselho de sua atividade profissional. A descrição do serviço também precisa constar no documento comprobatório. Para restituição, as despesas com saúde são ilimitadas.

Doações incentivadas

Tanto o doador quanto quem recebe deverá declarar a doação, que tem limite, para fins de restituição, de 6% do valor do imposto devido. Para comprovar, o contribuinte doador precisa informar, no momento de preencher a declaração, o CPF ou CNPJ de quem irá receber o benefício, bem como o valor doado e comprovar através de um recibo que deverá ser fornecido para quem recebeu o importe.

Contribuições à Previdência Social

O contribuinte pode comprovar as contribuições à Previdência Social através do próprio informe de rendimentos, que pode ser emitido no site do INSS ou pelo aplicativo que eles disponibilizam aos seus usuários.

Contribuição à Previdência Privada

São dois os tipos de previdência privada passíveis de restituição e cada uma conta com suas particularidades. Seja pela VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) ou PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), o contribuinte pode comprovar o pagamento mediante apresentação dos extratos e comprovantes de pagamento.

Pensão Judicial

Para conseguir restituir valores pagos com pensão judicial, ou seja, as pensões alimentícias, é preciso do documento contendo a decisão judicial ou escritura pública. Casos de acordo informal entre as partes não são passíveis de restituição.

Pensão Judicial

Vale lembrar que a restituição, caso o contribuinte possua alguns dos direitos elencados acima, somente é viável se a declaração tiver sido feita pelo modelo completo.

Contudo, se o contribuinte optar por declarar através do modelo simplificado, a dedução é de 20% sobre a renda tributável, com teto de R$ 16.754,34 dedutível, ou seja, sobre as despesas declaradas.

É válido observar que até 100% do valor pago e/ou retido de Imposto de Renda, no ano anterior, pode ser restituído. Portanto, é impossível restituir valor maior que o retido ou pago no ano anterior.

Em todos os casos, seja por via de modelo completo ou simplificado, a restituição só será feita se a declaração tiver sido entregue sem erros.

Achou muita informação? Por isso mesmo é extremamente necessária a organização com toda a documentação comprobatória, pois só assim o contribuinte terá a garantia de que não irá perder dinheiro. Algumas dicas podem funcionar para a organização:

Dicas para organizar o seu IR

Compre pastas sanfonadas e categorize cada tipo de despesa que possa ser deduzida, guardando todos comprovantes ao longo do ano;

Se o documento puder apagar, como é o caso dos documentos impressos em papel termossensível (como os comprovantes de cartão de crédito, por exemplo), tire fotocópia para garantir a fiel leitura do seu conteúdo;

Se o contribuinte declara com a ajuda de um contador, enviar imediatamente a ele todos os comprovantes de despesas dedutíveis é importante para não deixar nada para trás.

Seguindo estas dicas, o contribuinte estará mais próximo de receber o valor máximo de restituição do IR possível, no seu caso. A organização é fundamental se o contribuinte gosta de cuidar do seu dinheiro.

O que você achou do post?

2 Respostas

Deixe seu comentário