Canal da Leoa

Tudo sobre Imposto de Renda

Conteúdo grátis com qualidade sobre IR

Letra de Câmbio: o que é, como funciona e como investir

Tire todas as suas dúvidas sobre letra de câmbio, desde como investir até quanto de Imposto de Renda pode pagar.

Letra de câmbio

A letra de câmbio, também chamada de letra comercial ou simplesmente LC, é um tipo de aplicação que pode ser uma boa opção para todos os tipos de investidores, desde os mais arrojados até os mais conservadores, por ser tão segura quanto a poupança, mas normalmente render mais do que ela.

Entretanto, para investir sem medo, é essencial conhecer os detalhes do seu funcionamento e comparar suas particularidades com outros investimentos de renda fixa, como também é o caso do CDB, LCI e LCA.

Inclusive, você pode associar outros títulos para atuarem em conjunto com as letras de câmbio, para alcançar melhores resultados.

Vamos entender mais?

O que é letra de câmbio

É um título de renda fixa como o CDB - Certificado de Depósito Bancário - e as LCIs/LCAs - Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio. Ainda não é tão conhecida quanto essas opções, mas vem se mostrando uma ótima escolha de investimento por ter um rendimento maior do que as demais e ser uma alternativa segura.

Da mesma forma que o CDB, título emitido pelos bancos, quem emite a letra de câmbio são as financeiras, que usam esse título para captar recursos no mercado e emprestar aos seus clientes.

E é aqui que está o pulo do gato: por ser emitida por instituições financeiras que não têm o mesmo poder que grandes instituições, elas representam um risco maior na hora de captar recursos.

E isso é bom? É!

Isso porque esse risco torna a oferta de taxas de rendimento mais atrativas para os clientes, indo além da remuneração oferecida pelos bancos para os CDBs, por exemplo.

É por essa razão que esse investimento é uma oportunidade interessante para quem quer diversificar a carteira de investimentos.

Talvez você se pergunte como pode ser seguro se uma financeira não tem a mesma capacidade de um banco, mas é seguro, pois, como o CDB e outras aplicações tradicionais de renda fixa, a oferta de letra de câmbio também conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos - FGC.

O FGC é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que protege investidores, poupadores e correntistas, permitindo recuperar depósitos ou créditos mantidos em instituição financeira até determinado limite, caso aconteça falência ou liquidação.

Como funciona a letra de câmbio

A letra de câmbio é emitida por instituições financeiras de modo geral, como sociedades de crédito, financiamento e investimentos.

Ao comprar esse investimento, é como se você emprestasse dinheiro para a financeira que emitiu o título e, em troca, vai receber o valor acrescido de juros e correção monetária.

Como investir em letra de câmbio

Você precisa procurar uma corretora ou banco de investimentos habilitado para essa operação. Os procedimentos internos de cada instituição variam e costumam envolver abertura de uma conta.

Lembre-se de não fazer esse tipo de investimento de forma impensada, porque como a sua emissão é um benefício para a financeira, as condições podem mudar, inclusive de um dia para o outro.

Então se hoje você pode ver uma oportunidade com prazo e rentabilidade que são o que você procura, amanhã ela pode desaparecer e vice-versa.

Portanto, pesquise bem e só aceite caso a oferta esteja de acordo com as suas projeções, inclusive comparando com outros investimentos considerados seguros também, como os CDBs.

Quais são os tipos de letra de câmbio?

Existem três tipos mais comuns disponíveis no mercado:

1.  Letra de câmbio pós-fixada

É o modelo mais popular desse tipo de aplicação e acontece como a opção pós-fixada dos CDBs. É quando a rentabilidade da aplicação é vinculada ao CDI - Certificado de Depósito Interbancário, taxa de juros próxima à Selic, a taxa básica de juros do Brasil.

Quando chega o final do período determinado na contratação, você recebe um percentual sobre essa taxa.

2.  Letra de câmbio prefixada

Também como nos CDBs prefixados, a rentabilidade dessa modalidade pode ser conhecida no ato da contratação. É uma maneira de investir que tem retorno completo já conhecido na hora da aplicação.

É importante fazer uma análise mais apurada do cenário econômico antes de contratar essa modalidade, pois se a inflação subir demais ao longo do período contrato, por exemplo, a aplicação pode perder bastante atratividade.

3.  Letra de câmbio híbrida

Essa opção conta com características das duas modalidades anteriores, geralmente oferecendo uma combinação entre uma remuneração fixa e outra com variação, que costuma estar atrelada à variação de algum índice de controle de preços, como o IPCA - Índice de Preços ao Consumidor Amplo.

Essa combinação traz garantia de ganhos acima da inflação e é uma proteção atrativa no longo prazo.

Imposto de Renda de letra de câmbio

Aqui, novamente, como nas operações de CDB, os rendimentos de letra de câmbio também estão sujeitos a pagar Imposto de Renda, variando de acordo com o tempo do investimento.

O imposto é todo retido na fonte. Os percentuais são:

Tabela regressiva ir

Em todos os casos, o pagamento do imposto acontece direto na fonte, realizado pela própria instituição financeira, então você não precisa se preocupar em pagar o Imposto de Renda ao fazer a declaração ou em algum outro momento.

Esclarecemos as suas dúvidas sobre a letra de câmbio? Que tal compartilhar este post para que mais investidores e futuros investidores possam conferir nossas dicas?

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário

Cálculo automático do
Imposto de Renda dos
seus investimentos

Compre e venda sem medo de cair na Malha Fina.

começar agora