Como declarar Bens e Direitos no Imposto de Renda?

Preencher com precisão todas as informações necessárias no momento da declaração é requisito para evitar complicações. Por isso, descubra como preencher a ficha de Bens e Direitos no Imposto de Renda.

Bens e direitos imposto de renda

Preencher de maneira adequada a ficha “Bens e Direitos” da declaração do Imposto de Renda é um passo primordial para sair desse momento de tensão tranquilo. Por isso, neste artigo, vamos conduzi-lo durante o processo - indicando como realizar apropriadamente este preenchimento.

Afinal, registrar todo o seu patrimônio e o de seus dependentes é imprescindível para manter uma postura de transparência frente à Receita Federal, já que o órgão verificará se as mudanças mencionadas em seus “Bens e Direitos” correspondem à renda informada na declaração do IR.

O que deve ser informado na ficha de “Bens e Direitos”?

  • Imóveis - como casa, apartamento, terreno, sala comercial;
  • Veículos - como carro, moto, caminhão, ônibus;
  • Plano de previdência privada do tipo VGBL;
  • Saldo em conta corrente, poupança, tesouro direto, fundo de investimento, CDBs, entre outros,com valor mínimo de R$ 140 em 31/12/2019;
  • Ações, contratos ou termos futuros, ouro, jóias, obras de arte, moedas internacionais ou outros ativos financeiros negociados em Bolsa ou não, com valor mínimo de R$ 1.000;
  • Bens com valor superior a R$ 5 mil - bitcoin e outras criptomoedas, juros sobre capital anunciados e ainda não pagos por empresas;
  • Direitos de autor, inventor ou patente, licenças e concessões especiais, entre outros.

Como preencher Bens e Direitos na declaração do Imposto de Renda?

O preenchimento da ficha “Bens e Direitos” se divide em duas partes: importar informações da última declaração que permanecem iguais e, se houver, acrescentar alterações como a venda ou a compra de um imóvel, feitas durante o ano-calendário. Se estiver preenchendo a declaração de 2020, o ano-calendário é 2019.

Se nada foi modificado, basta repetir o valor de cada item do campo “Situação em 31/12/2018” no campo “Situação em 31/12/2019”, por exemplo. Mas, se algum de seus bens foi vendido durante o ano-calendário da declaração, zere o campo “Situação em 31/12/2019” e informe os detalhes da venda em “discriminação”.

No entanto, se um novo móvel ou imóvel foi adicionado à sua lista de “Bens e Direitos”, será necessário incluí-lo em sua ficha. Para isso, clique em “Novo”, especifique o bem e informe os detalhes no campo “Discriminação” - descrevendo-o e indicando as condições da compra.

Depois disso, coloque zero no campo “Situação em 31/12/2018” e no campo “Situação em 31/12/2019” informe, efetivamente, os valores pagos durante o ano. Simples, não é mesmo?

Por fim, vale lembrar que neste ano de 2020 passou a ser obrigatório informar se os “Bens e Direitos” mencionados na declaração são do contribuinte ou de seus dependentes, inserindo, assim, o CPF do titular. Por isso, lembre-se de possuir essas informações em mãos antes de declarar seu IR.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário